Muitos de nós já ouvimos, a propósito do desejo de comprar casa, alguém que diz que o amigo do outro fulano fez uma casa e não precisou de nada, foi chegar e montar o pré-fabricado.

O olhar desconfiado é logo rematado com, “se construíres uma casa de madeira, daquelas pré-fabricadas podes colocar lá no terreno que os avós te deixaram de herança e parece que não precisas de pedir licença, estou a dizer-te!”

Como a maior parte dos residentes em solo nacional, este amigo também sonha em ter casa própria e isto soa que nem música.

Mas faltam notas nesta melodia. Não é bem assim.

A procura por opções mais em conta veio trazer a resposta cada vez mais recorrente que são as afamadas casas pré-fabricadas modulares ou as casas de “madeira” ou bungalows.

É Importante diferenciar cada uma delas.

Casa Pré-Fabricada modular – na realidade é semelhante aos legos das crianças… podemos construir as diferentes partes da casa e levar para outro lugar onde montamos aquilo que será o produto final. Neste caso o processo passa pela elaboração das seções de módulos do edifício que são montados num local remoto, em seguida, transportados para o lugar onde será implementada a casa. Carecem de fundações, logo exige licenciamento igual a de qualquer outra edificação. Tem a favor os custos que são baixos para modelos standard e o prazo de construção que pode ser muito breve. E quando digo breve, é breve de verdade, de dias a poucas semanas.

Casas de Madeira – são casas constituídas por pranchas de madeira de encaixe com finalização ou não de outros materiais que pode estar assente sobre uma plataforma de madeira tratada, sobre betão, alvenaria ou ate mesmo assente diretamente no terreno caso este ofereça condições de solidez, sendo assim uma casa sem fundações.

A grande vantagem é serem casas modulares e podem ser “nómadas”.

Elevada qualidade e durabilidade da construção em madeira maciça.

E uma casa de madeira ou bungalow precisa de licenciamento? Grande parte das pessoas tem uma conceção equivocada no que se refere às casas modulares ou pré-fabricadas.

À primeira vista pensam que é mesmo como disse o amigo do outro dia, apenas será imprescindível ter o terreno, comprar a casa literalmente por catalogo e montá-la no lugar de sonho e serem felizes para sempre. Lamento desapontar, mas esta não é de todo, a verdade.

Ora, o que a lei determina é que desde que a construção tenha um carácter de permanência terá de se reger exatamente pelo mesmo regulamento existente para uma casa de construção tradicional, ou seja requer sim licenciamento independentemente do tipo de construção.

Também há que tratar da Licença de Habitação.

Por isso o melhor é não ficar pela conversa de café, de alguém que sabe que ouviu dizer, mas verificar se o terreno permite ou não a construção junto dos serviços camarários.

É uma realidade que são opções mais acessíveis e até mais amigas do ambiente.

Sara Raposo, Gestora de Clientes

%d bloggers like this: