1. Que preço?

Continuamos o nosso arquivo de 7 pontos para realizar a venda da sua casa.

Até agora abordamos 2 pontos.

Avaliámos se de facto está pronto para vender a sua casa e da importância de definir um plano, de consultar o seu banco para poder tomar decisões antes, durante e depois da venda de um imóvel.

Se chegou a este ponto com certeza há uma importante questão, que se levanta.

Para vender, é preciso haver um preço.

Mais uma vez vamos refletir.

Quando comprei a minha casa quanto me custou? Vamos assumir que o valor é 100.000€

Quantos anos se passaram? A casa foi alvo de melhoramentos, obras ou renovações? A zona do imóvel é uma zona apetecível? Há procura nessa zona? Quantos imóveis existem na minha zona? Qual o preço médio de venda nesta zona?

É pouco provável que um imóvel passado, por exemplo, 15/20 anos tenha o mesmo valor de mercado que quando comprou. Ou já desvalorizou ou valorizou com recurso a obras e melhoramentos.

O preço está adequado ao mercado?

Resposta A: “A minha é mais cara que as outras, mas tem garagem e remodelei a cozinha.”

Resposta B: “A minha é mais cara, mas está muito estimada”

Resposta C: “A minha está na média de preços da zona”

Resposta D: “A minha casa é um pouco mais barata que a média”

Esta é a questão com maior peso que vai ser levantada pelos compradores.

Se a resposta é A então já fez obras, já melhorou, seja que tipo de obra for, mas especialmente cozinha e wc’s são tidas em conta pelos compradores, pois são estas as de maior complexidade quando a casa está habitada e também as mais dispendiosas. Este imóvel poderá ser mais caro que todos os outros no prédio, mas não implica fazer obras para habitar nele.

A opção B indica que estamos perante um imóvel que nunca foi alvo de obra alguma, tem o seu valor pelo estado de conservação, mas se o dono do 4º F fez obras e comprou uma garagem na cave e o meu apartamento está exatamente como quando o comprei e estão os dois ao mesmo preço, o apartamento do vizinho será vendido mais rápido que o meu, sem tantas objeções.

Quando a resposta for C significa que está em pé de igualdade com os imoveis à venda na zona. Um potencial cliente irá ver várias opções e o meu será certamente visto e equacionado.

A resposta D é a que reflete um imóvel que a partida não terá dificuldades em ser vendido num curto espaço de tempo. Normalmente são adquiridos por investidores que fazem obras e depois vendem ou arrendam. Alguns particulares compram estes imóveis e vão fazendo obras à medida que lhes for conveniente. Existe sempre preferência por um imóvel pronto a habitar.

Então tenho que baixar valor para vender a minha casa? Não necessariamente. Um valor mais alto indica uma venda mais tardia, com algumas reduções de preço pelo meio.

Este ponto é apenas exemplificativo de que existe uma maior rapidez de venda quando o preço é competitivo e quase não precisa de obras ou não precisa de nenhum melhoramento.

Há vários fatores que pesam no valor final de uma casa. É importante encontrar um valor justo para quem vende e para quem compra.

Nem todos os proprietários podem ou querem fazer gastos antes de uma venda, mas amanhã vamos falar do que pode fazer para que torne o seu imóvel mais apelativo.

Sara Raposo

Gestora de Clientes

Grupo SI – Caldas da Rainha

%d bloggers like this: