1. Vender uma casa, não é só vender! Acredite

Temos trazido vários pontos para esta nossa reflexão. Nestes últimos dias falámos do facto de ter ou não o imóvel verdadeiramente à venda, do plano necessário e da consulta ao banco para iniciar um processo de venda, que preço atribuir ao imóvel e o que posso fazer pela minha casa para a tornar mais apelativa e propicia à venda.

Até aqui está tudo mais ou menos encaminhado.

Espero pelo fim de semana, esperei pela hora em que a casa apanha mais sol/luz natural e tira umas fotos. (Aqui aproveitamos para deixar dicas como: abra todas as janelas, as suas fotografias ficarão melhores, se houver uma vista desafogada, tire uma fotografia da melhor vista, tente que pessoas e animais de estimação não sejam visíveis nas suas fotografias).

Coloca o anuncio na internet, faz uma descrição da casa e das áreas bem como da envolvência, coloca o preço justo e publica. Agora é esperar.

A partir do momento que o seu telemóvel tocar pela primeira vez, acredite em mim, não vai parar mais. Tenha uma agenda, um bloco ou até o calendário do telemóvel e marque todas as informações.

Este é o trabalho que fazemos na SI – Soluções Ideais, falamos com quem quer saber informações, fazemos a triagem dos verdadeiros interessados e do seu vizinho que quer saber por quanto quer vender a sua casa apenas por curiosidade. Separamos potenciais clientes, dos clientes que enviam propostas 50.000€ a baixo só porque dizem que não vale mais. Convidamos a vir ao nosso escritório para percebermos o que realmente procuram. Marcamos uma visita quando sabemos que o imóvel que vai ver será realmente uma opção, não fazendo visitas em cima da hora. Respondemos a e-mails e retomamos chamadas. Ajustamos os anúncios e divulgamos o seu imóvel. Registamos todas as informações.

A grande questão que tenho para quem tenta vender sozinho é que é necessária uma organização para manter a informação organizada. Alguém que está na SI durante 8 horas para realizar esse trabalho, atender telefonemas e responder a emails. Se está na sua ocupação laboral durante 8 horas e depois vai para casa. Se tem a sua vida familiar, terá mesmo tempo se organizar tudo o que implica a venda da sua própria casa sem a ajuda de alguém especializado?

Estou preparado para vender a minha casa sozinho? Posso atender os contactos a qualquer momento? Sou organizado para recolher informações necessárias?

Resposta A: “Estou inteiramente disponível para vender a minha casa e dedicar grande parte do meu dia a esta tarefa”

Resposta B: “Atendo todas as chamadas e tenho disponibilidade mediante agenda”

Resposta C: “Estou a trabalhar e quase nunca posso atender, retomo algumas chamadas.”

Resposta D: “Nunca consigo atender o telefone”.

Se as suas respostas recaíram sobre as opções A e B é provável que tenha mesmo forma de vender o seu imóvel sem ajuda de ninguém. Se em algum momento sentir que está a “perder o fio à meada” recorra a um profissional. Lembre-se que quem procura casa vê a sua e mais algumas. Se vir a sua, pode fazer uma proposta e se por algum motivo não atender, pode perder uma oportunidade.

Se por outro lado as opções foram C e D, aconselho que reserve um momento sem pressas e venha conversar connosco, conhecer quem somos e de modo podemos ajudar a conseguir um comprador par a sua casa, sem perder oportunidades.

Amanhã vamos escrever sobre visitas

Sara Raposo

Gestora de Clientes

Grupo SI – Caldas da Rainha

%d bloggers like this: